PIQUE-ESCONDE

Diz-se que falsidade e hipocrisia é uma bruxaria capaz de enfeitiçar qualquer pessoa que a desafia, afinal é uma circunstância encontrada abundantemente nas quatro direções da república brasileira. Este é o jogo, é o modo operacional instituído por aqui. A felicidade e suas causas nunca são tidas como prioridades nestes jogos de poder.

Continuar lendo PIQUE-ESCONDE

COMPAIXÃO

A compaixão pode ser traduzida como sendo a firme e ilimitada intenção de que todos os seres estejam livres do sofrimento e das suas causas geradoras. Portanto, há dois aspectos essenciais a serem apreciados: a intenção de que os seres não sofram e a vontade de gerar ações que cessem o sofrimento.

Continuar lendo COMPAIXÃO

O SENTIDO DA VIDA: AÇÕES ESSENCIAIS

O conceito de essencial refere-se ao absolutamente necessário, o fim, o propósito maior que manifesta princípios e valores direcionados às experiências de troca, ao coletivo; é tudo aquilo que desperta a essência do ser, aquilo sem o qual não se pode viver equilibradamente, como afeto, convívio humano pacífico, harmonia, espiritualidade e paz interior.

Continuar lendo O SENTIDO DA VIDA: AÇÕES ESSENCIAIS

O SENTIDO DA VIDA: AÇÕES FUNDAMENTAIS

A incapacidade de compreender nossas incertezas e angústias gera ambiguidades, dificuldades para estabelecer prioridades e, consequentemente, complicações para pôr em prática ações que venham agregar valores e consubstanciar um sentido de vida harmônico e pacífico. E, como a vida é constituída a partir de ações, precisamos analisar seus respectivos graus de relevância, assim como atribuir significados valorativos que produzam benefícios. Este exercício necessário, benéfico e oportuno avança pela análise serena entre os conceitos de fundamental e essencial. Afinal, qual é o sentido da vida?

Continuar lendo O SENTIDO DA VIDA: AÇÕES FUNDAMENTAIS

A INSUSTENTÁVEL INGENUIDADE DO SER

O filósofo francês Auguste Comte inspirou a Bandeira do Brasil com a frase "O amor por princípio e a ordem por base, o progresso por fim". A atual bandeira foi instituída em 19 de novembro de 1889, desenvolvida por Raimundo Teixeira Mendes, Miguel de Lemos, Manuel Pereira Reis e Décio Villares. No centro da esfera, foi adicionado um lema positivista escrito “Ordem e Progresso”. Lá se vão 131 anos! Imaginemos o que hoje escreveriam os autores ao verificarem nosso status quo? “Desordem & Retrocesso”, “Devagar e Nunca”, “Corrupção & Burocracia” ou “Insensatez & Tacanhez”.

Continuar lendo A INSUSTENTÁVEL INGENUIDADE DO SER

SAÚDE EM FOCO

Precisamos ser realistas e desenvolver a habilidade da atenção plena e do dimensionamento efetivo visando tratar a Saúde com outra ênfase, íntegra e abrangente, não somente com aplausos entusiastas e emocionais durante uma pandemia, pois ela está bem enferma. De outro modo, continuará a ser eternamente parte do problema, nunca solução. Ou então poderíamos citar mestre Guimarães Rosa “Seja realista, acredite em milagres”.

Continuar lendo SAÚDE EM FOCO

O MARKETING DOS JOGOS DE PODER

Nós temos a responsabilidade de compreender e dimensionar o momento presente, aprender com a História, no sentido de que possamos aplicar os respectivos antídotos e nos adaptar, com serenidade. É fundamental entender o status quo reinante e utilizarmos valores como consciência, discernimento, concentração meditativa, paciência e quietude mental estável para permanecermos no Caminho do Meio.

Continuar lendo O MARKETING DOS JOGOS DE PODER

SORTE OU AZAR

A raça humana parece uma manada tresloucada de búfalos ou zebras, rompendo planícies sem qualquer bússola ou visão sistêmica. Nesse ínterim, atropelam-se a si mesmos, esperneiam, reclamam, caem, mordem, morrem: não dão sentido à vida. Oh céus, oh vida, oh dor, oh azar!

Continuar lendo SORTE OU AZAR

MONARQUIA NO BRASIL: PRETENSÃO OU PRECAUÇÃO?

A tal da democracia esdrúxula — pra não dizer patética — instituída no Brasil corrobora com o famoso ditado da mitologia grega “É impossível agradar a gregos e troianos”. De fato, não satisfaz a nenhum segmento da população brasileira, exceto os que a inventaram e a protegem. Mas, como sempre existem outras soluções, também podemos invocar São Nunca, ou outras expressões populares como quando os porcos voarem, as galinhas tiverem dentes, ou mesmo aguardarmos que as vacas tussam.

Continuar lendo MONARQUIA NO BRASIL: PRETENSÃO OU PRECAUÇÃO?

DO ALTO DO MEU BALÃO

O cenário político/midiático me faz lembrar do imperador Napoleão Bonaparte “Todo homem luta com mais bravura pelos seus interesses do que pelos seus direitos”. De fato, agridem pessoas que agridem pessoas para mostrar que agredir pessoas é errado, numa demonstração inexorável de imaturidade e desvirtuamento de intenções, crenças e valores virtuosos. Inspiração, escuta, diálogo, moralidade e consenso são atitudes irrelevantes aqui. Pensamentos desprezíveis são encontrados em profusão.

Continuar lendo DO ALTO DO MEU BALÃO

CHEGA DE ESTUPIDEZ!

Se pudesse, convocaria uma grande reunião no Congresso Nacional. Com a chegada dos meus convidados especiais da imprensa, política, executivo e judiciário, trancaria as portas e todos seriam obrigados a arriarem suas calças. Em seguida, aplicaria uma surra homérica com uma boa varinha de bambu, até caírem ao chão, após experimentarem um sofrimento físico e emocional, com prazo ilimitado.

Continuar lendo CHEGA DE ESTUPIDEZ!

OS REIS LOUCOS

Jean-Paul Sartre afirmava que “Viver é um exercício de equilíbrio constante entre nossas escolhas e suas consequências”. Pois bem, vimos assistindo a uma guerra de interesses, onde os ignorantes com educação se digladiam contra os ignorantes sem educação: nesse meio amplamente profano e obscuro, não há indícios de sabedoria.

Continuar lendo OS REIS LOUCOS

O VÍRUS DA CONSCIÊNCIA

O coronavírus não nos confinou, apenas estamos tendo uma magnífica oportunidade de expandir nossa mentalidade, de organizar e aprimorar nossas ideologias e costumes, de atuarmos nas áreas intangíveis e ilimitadas da mente.

Continuar lendo O VÍRUS DA CONSCIÊNCIA

CARNAVAL E SUAS FANTASIAS

O carnaval evidencia duas facetas dignas de serem analisadas: uma euforia inconsequente, meio boba, e um contrassenso cultural latente. Por que nos motivamos para organizar, articular, nos comprometer e nos disciplinar para brincar o carnaval, mas também não direcionamos essa mesma energia para arquitetar nossa sociedade com o mínimo de contemporaneidade, prosperidade e integridade?

Continuar lendo CARNAVAL E SUAS FANTASIAS

E DEIXA A VIDA ME LEVAR (VIDA LEVA EU!), DEIXA A VIDA ME LEVAR (VIDA LEVA EU!)…

O Estado do Rio de Janeiro, exuberante em sua própria natureza, vem naufragando nas águas da insensatez e da imaturidade emocional há, no mínimo, 37 anos. E, aqui entre nós, tudo que precisamos evitar é deixar a vida nos levar.

Continuar lendo E DEIXA A VIDA ME LEVAR (VIDA LEVA EU!), DEIXA A VIDA ME LEVAR (VIDA LEVA EU!)…

A ESTRUTURAÇÃO DEPENDENTE DO QUE CHAMAMOS DE EU

Ao ampliarmos significativamente qualquer ponto do nosso corpo, apontando-o como sendo o eu, na verdade encontramos alguns milheiros de células, portanto, milhões de outros seres. O dito eu constitui-se de milhões de outros eus, que também não são o eu. Intrigantemente, verificamos que nenhuma das partes do nosso corpo é o eu, não havendo nenhum local real que possa constituí-lo. Então, onde estaria esse tal de eu?

Continuar lendo A ESTRUTURAÇÃO DEPENDENTE DO QUE CHAMAMOS DE EU

A ATIVIDADE MENTAL DE CRIAR E OCULTAR: COMO GERAMOS EXPERIÊNCIAS SEGREGADORAS

A ignorância mental condicionada possui uma característica mágica e super criativa: a ação de criar delusões e, ao mesmo tempo, se separar delas, num movimento de ocultação de que ela é a criadora das próprias delusões, fazendo com que passemos a gerar experiências segregadoras, num processo onde a parte grosseira da mente não consegue vislumbrar que é a autora das suas próprias obras (delusões).

Continuar lendo A ATIVIDADE MENTAL DE CRIAR E OCULTAR: COMO GERAMOS EXPERIÊNCIAS SEGREGADORAS

PERCEPÇÕES DELUSÓRIAS

As percepções delusórias têm 5 objetos sutis de contemplação: acreditar que a vida existe por si só, aceitar que as delusões sejam reais, adotar ideologias extremistas, utilizar a disciplina com propósitos não virtuosos, e negar a existência de algo que existe. Fonte inesgotável de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal.

Continuar lendo PERCEPÇÕES DELUSÓRIAS

DOS CIDADÃOS À CIDADANIA

Noutro dia tive um sonho formidável. Sonhei que vivia num país em outro planeta, com dimensões continentais, gigante pela sua própria natureza. De fato, no seio de sua sociedade, não havia qualquer forma de confusão, preguiça mental ou inércia. As pessoas dialogavam sobre qualquer assunto e, logicamente, haviam adquirido competências para tanto.

Continuar lendo DOS CIDADÃOS À CIDADANIA

DELUSÃO: QUANDO ASSUMIMOS O ILUSÓRIO COMO SENDO REAL

Delusão é um processo mental relacionado a inconsciência e ausência de discernimento, que acontece quando a mente cria uma ilusão e acredita que ela seja verdadeira. Um ato de criar situações e experiências ilusórias que ocultam a realidade, isto é, você cria um ‘monstro’ e passa a achar que ele seja real, num movimento interdependente e condicionado entre você, o criador, e a delusão, a criatura.

Continuar lendo DELUSÃO: QUANDO ASSUMIMOS O ILUSÓRIO COMO SENDO REAL

IGNORÂNCIA MENTAL CONDICIONADA

A mente possui dois aspectos: um luminoso, sábio, outro sombrio, ignorante, causa raiz de todo o ciclo condicionado de sofrimento. O entendimento sobre o conceito e a forma com a qual a ignorância mental se manifesta é uma descoberta preciosa, que possui o poder de revolucionar nossas próprias ideologias e comportamentos.

Continuar lendo IGNORÂNCIA MENTAL CONDICIONADA

ANSIEDADE E A PERCEPÇÃO TEMPORAL

Jung defendia que, no domínio psíquico, nada morre e que o passado vive no presente, nas diferentes camadas do inconsciente da mente. Por isso, nada expira e nada se perde. A experiência temporal exibe duas dimensões distintas: uma segregadora, em que é possível separar o tempo em passado, presente e futuro. A outra dimensão, mais subjetiva, revela uma habilidade da mente de regressar ao passado espontânea e conscientemente, a partir do momento presente, vivenciando as sensações, emoções e sentimentos.

Continuar lendo ANSIEDADE E A PERCEPÇÃO TEMPORAL

ANSIEDADE: CAUSAS, SINTOMAS E SOLUÇÕES

O modelo de vida praticado pela sociedade contemporânea estabeleceu um padrão de ansiedade frequente, anexando ao cotidiano diversos novos componentes aflitivos, de forte contaminação psíquica e fisiológica que produzem um transtorno patológico de ansiedade generalizada. Este artigo aborda seu mecanismo de funcionamento, assim como indica soluções efetivas de pacificação.

Continuar lendo ANSIEDADE: CAUSAS, SINTOMAS E SOLUÇÕES

DO PESSIMISMO À ESPIRITUALIDADE

“A esperança é o sonho dos acordados”, discorria o sábio Aristóteles. Neste artigo, Wilson M. Moura faz uma ponderação sobre o caminho percorrido e as distinções entre pessimismo, otimismo, religiosidade e espiritualidade.

Continuar lendo DO PESSIMISMO À ESPIRITUALIDADE

HIERARQUIA DAS NECESSIDADES HUMANAS

Líderes totalmente despreparados, muitas vezes desequilibrados, comandam grandes massas que, por sua vez, demonstram ampla confusão mental, inúmeras dispersões e altas doses de letargia e preguiça mental. Como gerar valores, crenças e atitudes direcionadas para a quietude mental e pacificação da mente?

Continuar lendo HIERARQUIA DAS NECESSIDADES HUMANAS

PARÂMETROS CULTURAIS: DA JUSTIÇA A CLAVA FORTE

O Brasil continua sendo uma mãe extremamente gentil. A cultura estabelecida no florão da América possui parâmetros não virtuosos muito evidentes, que nos fazem entender os motivos pelos quais não conseguimos prosperar. Vamos enfrentá-los ou continuar jogando caxangás?

Continuar lendo PARÂMETROS CULTURAIS: DA JUSTIÇA A CLAVA FORTE

OH TEMPOS; OH COSTUMES!

A filósofa russa Ayn Rand avaliava que "Os direitos individuais não estão sujeitos a votação pública; uma maioria não tem o direito de votar sobre os direitos individuais de nenhuma minoria”. Sim, temos o direito de fazer o que quisermos, desde que não causemos mal aos outros. Só nos resta saber a localização desta civilização.

Continuar lendo OH TEMPOS; OH COSTUMES!

MEDITANDO SOBRE A RAIVA E O ÓDIO

Lá se vão mais de 130 anos desde que Nietzsche compartilhava a ideia de que nada consome mais o homem do que a paixão do ódio. Pois bem, mesmo com esse primoroso aconselhamento, por que raiva e ódio continuam sendo celebridades no cenário mundial?

Continuar lendo MEDITANDO SOBRE A RAIVA E O ÓDIO

A ERA DA FALSIDADE E HIPOCRISIA

Falsidade e hipocrisia são delusões tão presentes e ativas na atualidade que, se não forem repelidas urgentemente, temos o iminente risco de serem absorvidas na formação da personalidade contemporânea, e o que é pior, consideradas como sendo benéficas. Seríamos nós capazes de lidar com elas?

Continuar lendo A ERA DA FALSIDADE E HIPOCRISIA

O EXTREMISMO E O SUFRÁGIO UNIVERSAL

Chegamos ao precioso momento para exercer a obtusa e ordinária democracia: o direito ao sufrágio universal e o voto direto e secreto. Em pleno século XXI, no ano de 2018, estamos diante de dois candidatos no mínimo incompetentes, se digladiando no meio de um país mais perdido do que cego em tiroteio, dividido entre dois extremos. E agora, José?

Continuar lendo O EXTREMISMO E O SUFRÁGIO UNIVERSAL

O JORNALISMO E SEUS PARADOXOS

No Brasil, o produto da atividade jornalística baseia-se na informação ou na formação de opinião? O jornalismo praticado visa inspirar o pensamento crítico ou influenciar o grande público? Um convite à contemplação.

Continuar lendo O JORNALISMO E SEUS PARADOXOS

ENTRE BRUXOS, BRUXAS E CALDEIRÕES

A maioria esmagadora do povo brasileiro crê que possuímos todas as condições para nos tornar um Estado com equidade e bem-estar social. Contudo, o status quo vigente é de ampla mediocridade e insensatez. Quais seriam os ingredientes manipulados pelos bruxos e bruxas para cozinhar nossa cultura?

Continuar lendo ENTRE BRUXOS, BRUXAS E CALDEIRÕES

S DE SIMPLICIDADE

Leonardo da Vinci nos ofereceu uma deliciosa reflexão: “a simplicidade é o último grau de sofisticação”. A ausência de simplicidade produz uma infusão permanente de novos desejos, gerando apegos e aprisionamentos. Por que, então, não a priorizamos?

Continuar lendo S DE SIMPLICIDADE

ENTRE DESEJOS, APEGOS E OBSSEÇÕES: DA NEUROSE À PSICOSE

Desejos, apegos e obsessões estão sempre no olho do furacão, e possuem relações dissimuladas e estreitamente relacionadas com nossas neuroses e psicoses. Sigmund Freud estaria certo ao afirmar que somos todos neuróticos, neuróticos graves ou psicóticos?

Continuar lendo ENTRE DESEJOS, APEGOS E OBSSEÇÕES: DA NEUROSE À PSICOSE

O DIÁLOGO E SUAS PROEZAS

O diálogo é uma transcendente ferramenta vivencial de contemplação, análise e criatividade conjunta, que produz a adaptabilidade (integração) e o comprometimento das pessoas, objetivando aprimorar o entendimento mútuo, a geração de novas ideias, a quebra de paradigmas e a produção de significados que possam ser compartilhados. Ao seu inteiro dispor!

Continuar lendo O DIÁLOGO E SUAS PROEZAS

SENTAR, INTROSPECTAR E CONTEMPLAR

A vida sempre nos proporciona escolhas: podemos viver sem semear nem colher resultados virtuosos ou desenvolver uma longevidade consciente e disseminar sementes. É um exercício de plena liberdade e livre arbítrio.

Continuar lendo SENTAR, INTROSPECTAR E CONTEMPLAR

AGENTES PÚBLICOS, POLÍTICOS

A classe política nos oferece um amplo material para exercitarmos o pensamento crítico e o senso de coerência. Se cada indivíduo visasse desempenhar o papel de cidadão e exercesse sua responsabilidade, teríamos uma qualidade de vida extremamente mais rica, gastaríamos muito menos esforço para viver e chegaríamos a conclusão de que os políticos são totalmente desnecessários. Seria esse um devaneio meu?

Continuar lendo AGENTES PÚBLICOS, POLÍTICOS

O PAÍS DA CRIATIVIDADE

Seria o Brasil o país da criatividade? Eu tenho a absoluta convicção de que se fossemos fazer uma enquete entre os 193 Países-membros da ONU, estaríamos liderando a lista. Temos uma enorme capacidade de inventar coisas, contudo sem qualquer consciência, discernimento, visão sistêmica ou resultantes que traduzam níveis de bem-estar e satisfação regulares. Afinal, qual seria a relação entre criatividade e efetividade?

Continuar lendo O PAÍS DA CRIATIVIDADE

PROPÓSITOS & DESPROPÓSITOS

Nosso atual presidente, Bolsonaro, de fato, é totalmente desprovido de competências agregadoras, manifestando interesses pessoais direcionados exclusivamente às bancadas evangélica, da bala e do agronegócio. Contudo, é um mal necessário. Ele evidencia o oposto esdrúxulo, o desequilíbrio total da balança cultural brasileira, incapaz de produzir prosperidade. De um lado, temos o despautério bolsonarista e, de outro modo, o contraditório avarento, isto é, a estupidez corrupta esquerdista.

Continuar lendo PROPÓSITOS & DESPROPÓSITOS

ABUNDÂNCIA GERAL E IRRESTRITA: É POSSÍVEL?

Ulrich Tolle nos ofereceu uma preciosa pérola “Aprenda como viver e morrer; e como não fazer do viver e do morrer um problema”. Existem abundantes recursos; nos falta solucionar os problemas de acessibilidade aos recursos. É como se quiséssemos encarar o sofrimento sem conhecer suas vicissitudes. A maioria está preferindo sofrer, reclamar e culpar os outros do que reconhecer suas causas e circunstâncias. É uma simples questão de se colocar numa posição de contemplação e acessar os problemas de maneiras distintas.

Continuar lendo ABUNDÂNCIA GERAL E IRRESTRITA: É POSSÍVEL?

SAÚDE MENTAL: RAZÕES PARA MEDITAR

Fenômenos como ausência de compaixão, empatia, diálogo, obsessão às redes sociais, pokemons, namoros com robôs e drástica redução de relacionamentos duradouros exemplificam com clareza uma ânsia para encontrar um ‘culpado’, instintos e desejos desenfreados pelo prazer, sem qualquer manifestação dos ideais morais e culturais do indivíduo, além do medo de se expor e compartilhar, numa evidente atividade de autodefesa de distúrbios emocionais e ausência de introspecção e plena atenção.

Continuar lendo SAÚDE MENTAL: RAZÕES PARA MEDITAR

O MENOS RUIM

Quando vemos um jardim destruído, temos três opções: lamentar eternamente, permitir que pessoas indiferentes e de má índole continuem a destruí-lo ou participar do processo de reconstrução, escolhendo os colaboradores mais bem preparados, mesmo que não sejam ideais. Qual tem sido sua escolha?

Continuar lendo O MENOS RUIM

CASTAS SOCIAIS

10% dos brasileiros possuem menos de 18 anos, 15% são aposentados e pensionistas, e apenas 13% da população declara imposto de renda. Ademais, 70% da população é sustentada por 30%, sem contribuir ou pouco contribuindo com o erário público, numa circunstância de completo desequilíbrio cultural/econômico/financeiro. Você conhece as vicissitudes das nossas castas sociais?

Continuar lendo CASTAS SOCIAIS

AMARRAR O BODE

O francês Wilfried Pareto afirmava que o Homem não é um ser racional, mas um ser que raciocina tão somente. Nos ofereceu um pressuposto matemático indicando que 20% das nossas ações geram 80% das nossas tormentas. Você já experimentou colocá-lo em prática?

Continuar lendo AMARRAR O BODE

CONTRASTES E CONTRASSENSOS

O filósofo alemão Martin Heidegger dizia que “As organizações de hoje não têm ideologia; a ciência não pensa!”. Por outro lado, desfrutamos de uma sociedade dominada pelo pensamento restrito à revolução tecnocientífica, como se tivéssemos dois mundos desconectados do passado, presente e futuro: um que não conseguiu identificar e solucionar seus graves problemas, e outro que ainda não começou a pensar integralmente, sem ideologias transparentes.

Continuar lendo CONTRASTES E CONTRASSENSOS

PARADIGMA DE INSENSATEZ

O pintor Francisco de Goya afirmava que a imaginação abandonada pela razão produz monstros impossíveis; quando está unida, é a mãe das artes e da fonte de suas maravilhas. Este artigo é um convite aberto para meditarmos sobre o modo de vida que estamos a vivenciar, com todos os seus encantos e desencantos.

Continuar lendo PARADIGMA DE INSENSATEZ

DIREITA OU ESQUERDA?

O sr. Direita foi casado com a sra. Esquerda durante longos anos. Agora separados, ainda vivem no mesmo bairro e frequentam o mesmo botequim. Noutro dia, ao ver sua ex entrar no bar, o sr. Direita divagava com amigos: “Hum, o que a Esquerda vem fazendo? Será que ela anda a chorar ou a sorrir? Talvez a reclamar, já que é uma das suas características marcantes. Não faz nada sem se lamentar, sempre se achando superior. Mas, superior que nada; superior sou eu, afinal me chamo Direita. E viva a democracia”.

Continuar lendo DIREITA OU ESQUERDA?

LIBERDADE DE AÇÃO: EFETUANDO ESCOLHAS

A interação com o meio ambiente traduz um movimento mútuo de dar e receber. Gera experiências contínuas que devem ser apreendidas como oportunidades de aprendizado, como um exercício de liberdade de ação, de espontaneidade, onde se aceita as coisas virtuosas e se rejeita aquilo que não traz benefícios.

Continuar lendo LIBERDADE DE AÇÃO: EFETUANDO ESCOLHAS

MAS SERÁ O BENEDITO?

O filósofo romano Lucius Seneca dizia que “Raros são aqueles que decidem após madura reflexão; os outros andam ao sabor das ondas e, longe de se conduzirem, deixam-se levar pelos primeiros.” Afinal, não é porque certas coisas são difíceis que nós não ousamos. É justamente porque não ousamos que tais coisas são difíceis. Vamos sair da zona de conforto e exercitar a visão sistêmica?

Continuar lendo MAS SERÁ O BENEDITO?

THE DARK SIDE OF THE MOON

Todos sabemos que dispomos de todas as condições de ordem e progresso, lema nacional da República Federativa do Brasil. Entretanto, mentalidade de crescimento, maturidade emocional e ausência de governança são atributos ausentes do cenário doméstico. Neste artigo, o autor elabora uma síntese sobre os 7 venenos culturais da sociedade brasileira. Afinal, o Brasil é o país do futuro ou dos pleonasmos?

Continuar lendo THE DARK SIDE OF THE MOON

HABEMUS DEMOCRACIA?

Uma ponderação sobre a democracia desde Platão, Maquiavel e os debilitados dias de hoje. Produzimos uma cultura onde o fundamental é seguir roteiros pré-formatados, numa explícita tendência a tolerar princípios traçados por intermédio da insensatez. Vamos refletir um pouco sobre a qualidade da nossa democracia?

Continuar lendo HABEMUS DEMOCRACIA?

DECIFRANDO OS 23 ENIGMAS DA VIDA

O sábio monge anglo-saxão Beda nos ensinava que há três caminhos para o fracasso: não ensinar o que se sabe, não praticar o que se ensina, não perguntar o que se ignora. Se formos analisar com os olhos da consciência, só somos coerentes quando nos ordenamos com as leis do universo. E isso nos impulsiona a decifrar os enigmas da vida.

Continuar lendo DECIFRANDO OS 23 ENIGMAS DA VIDA

EDUCAÇÃO PÚBLICA: SEM LENÇO, NEM DOCUMENTO

Conhecimento é a chave do sucesso! Mas ele precisa de um processo de metamorfose. No Brasil, a informação não consegue se transformar em conhecimento. Por quê? A educação é um tema presente nos Direitos Humanos e Fundamentais há mais de dois séculos, contudo continuamos acorrentados às próprias pernas. Nada melhor do que resumirmos e analisarmos estatísticas e indicadores educacionais internacionais para dimensionarmos os gargalos e tirar nossas conclusões. Educação, por onde andas?

Continuar lendo EDUCAÇÃO PÚBLICA: SEM LENÇO, NEM DOCUMENTO

SOB O DOMÍNIO DO ORGULHO

O poeta alemão Bertolt Brecht afirmava: “Que tempos são estes em que é preciso defender o óbvio?” Pois bem, o orgulho é cantado e decantado efusivamente, em prosa e verso, como sendo um valor/virtude de grande utilidade, contudo quase nunca apreciado como deveria ser. Mas, que tal de sentimento é esse? É nocivo ou teria um ladinho saudável? Este artigo aborda o sentimento do orgulho nas suas entranhas e profundezas. Vais encarar?

Continuar lendo SOB O DOMÍNIO DO ORGULHO

APRENDENDO A SABER, SABER FAZER E SABER SER

Beethoven, Purcell, Verdi, Wagner, Shakespeare, Masquet, Fassbinder e Pasolini foram gênios que nos revelavam a loucura da sociedade, o lado bizarro da vida, mas também indicaram caminhos para que pudéssemos aprender a saber, saber fazer e saber ser.

Continuar lendo APRENDENDO A SABER, SABER FAZER E SABER SER